Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Éramos Douro... agora somos mundo!

Informadouro

Éramos Douro... agora somos mundo!

3ª Feira Rural da Terra e da Gente de Lombada pode ser visitada até domingo

Direitos Reservados

 

Inicia-se,amanhã, a 3ª Feira Rural da Terra e da Gente da Lombada, pelas 17 horas, no Pavilhão Multiusos de São Julião, em Bragança.

A feira, que está aberta até dia domingo, conta com espaços de exposição e venda, como artesanato, máquinas agrícolas, entre outros. São ainda feitos concursos de ovinos e cães de gado, tal como montarias.

Neste espaço de convívio não falta música, com a atuação, ao vivo, de várias escolas e grupos musicais. É também possível, para aqueles que gostam da natureza, participar em passeios pedestres e BTT.

Para além de palestras onde se pode aprender um pouco mais sobre a terra, há ainda espaço para a arrematação do javali e um jantar de convívio com os caçadores.

Cozido à Moda dos Arcos de Valdevez nas mesas dos restaurantes aderentes este fim de semana

Divulgação

Arcos de Valdevez senta-se à Mesa para degustar o tradicional “Cozido à moda dos Arcos”, no próximo fim de semana, 27 e 28 de janeiro.

O Cozido é um prato confecionado com produtos locais de qualidade e com um tratamento especial das muitas carnes que o compõe, nomeadamente o presunto, a galinha caseira, a orelheira salgada, o toucinho entremeado, o chouriço de carne, a sanguinha, o entrecosto, entre outras. Para acompanhar, primazia para os vinhos verdes produzidos localmente, e como sobremesa, a sugestão vai para o Bolo de Discos, o Bolo de Mel do Soajo e os Charutos de Ovos, com Laranja de Ermelo.

Uma visita a Arcos de Valdevez implica um roteiro gastronómico pelos sabores tradicionais desta Vila minhota. Nesta edição “Arcos à Mesa”, que conta com a participação de 11 restaurantes, fica a sugestão de estadia para um fim de semana de convívio e lazer em família, onde poderá visitar a Feira de Artesanato e Mercado de Sabores, que decorrerá no Campo do Trasladário, realizar passeios ao ar livre, caminhadas ou trilhos, bem como visitas a quintas de vinho verde e desportos de natureza. Para além disso poderá ainda visitar o Paço de Giela, Monumento Nacional, Sistelo, uma das 7 Maravilhas de Portugal Aldeias e Soajo conhecido pela sua Eira dos Espigueiros Comunitária.

Moimenta da Beira serve Cozido à Portuguesa em fim de semana de Carnaval

Divulgação

A X edição dos Fins-de-Semana Gastronómicos vai sentar à mesa, no fim de semana que antecede o Carnaval, população e visitantes de Moimenta da Beira. O Rei da iniciativa vai ser o “Cozido à Portuguesa” que será servido nos quatro restaurantes aderentes. Um repasto que deverá ser acompanhado pelo vinho tinto da região “Terras do Demo”.

O Cozido à Portuguesa é composto por uma vasta variedade de carnes de porco, vaca e frango, acompanhadas pela moira de sangue, chouriço, farinheira, toucinho, salpicão. Na sua confeção também entra a batata, cenoura e couve, tudo regado com azeite caseiro ou com o caldo da cozedura das carnes.

O evento, promovido pelo “Turismo do Porto e Norte de Portugal”, apresenta também na ementa o queijo fresco com doce de abóbora e tarte de maçã. Os restaurantes, num gesto de boas vindas, oferecerão um copo do melhor vinho. Já as unidades de alojamento aderentes farão descontos de 20% nas noites de sexta-feira e sábado.

Nos dias 9, 10 e 11 de fevereiro todos os caminhos irão dar a Moimenta da Beira onde, para além da gastronomia, os visitantes terão oportunidade para se deixarem deslumbrar pelas paisagens, recantos, casario e muita história, alguma com mais de cinco mil anos, cujo testemunho-maior é a necrópole megalítica do Planalto da Nave, no cimo da Serra de Leomil.

Muito do que se pode (e deve) visitar está relatado na obra do escritor Aquilino Ribeiro, que viveu numa dessas aldeias de pedra do concelho, carregadas de lugares mágicos: a ‘sua’ Soutosa, sede da Fundação e Casa-Museu homónima.

Igreja Matriz na Praia da Vitória bateu recordes de visita em 2017

Município da Praia da Vitória

A Igreja Matriz da Praia da Vitória, Terceira, Açores, recebeu mais de 10 mil turistas no segundo semestre de 2017. O número elevado de visitas comprova, no entender do vereador do Turismo, Tiago Ormonde, “o mérito da parceria entre o Município e a Diocese que garante a abertura e visitação daquele património edificado do concelho”. O autarca garantiu que estes resultados sustentam o diálogo em curso com outras entidades no sentido de garantir a visitação de outros atrativos patrimoniais no centro histórico da cidade.

Nos próximos meses, “pretendemos concretizar um conjunto de ações que visam disponibilizar no centro histórico atrativos orientados para os turistas, fazendo com que passeiem pela cidade e, a partir dela, ganhem interesse por visitar outros locais do concelho” adinatou Tiago Ormonde. O objetivo “é aumentar o período de presença de cada turista no Concelho e, por essa via, contribuir também para a dinamização económica”, sublinha o responsável municipal.

Município da Praia da Vitória

No segundo semestre de 2017, a Igreja Matriz foi visitada por 10.076 turistas (5.056 portugueses e 5.020 estrangeiros). Segundo os dados divulgados pela Autarquia, os meses de agosto e setembro foram os que registaram maios afluência.

Desde junho de 2017, a Igreja Matriz encontra-se aberta ao público de segunda-feira a sábado, disponibilizando a Câmara Municipal um colaborador que garante a vigilância do espaço, assim como o apoio às visitas.

Quercus quer plantar "Um Milhão de Árvores por Município para Salvar o Clima"

Divulgação

Transformar o Planeta Azul num território mais Verde para combater o aquecimento global, melhorar a qualidade da água e do ar, conservar os solos e enriquecer a biodiversidade de cada região é o que a Quercus pretende com o projeto “Um milhão de árvores por município para salvar o clima”.

Um desafio ambicioso que tem como propósito a reflorestação de cerca de 1.000 hectares de áreas públicas, privadas ou comunitárias por concelho com 1.000.000 árvores de espécies autóctones como o carvalho, pinheiro, zimbro, azevinho, medronheiro, entre outras, utilizando técnicas de plantação, sementeira e aproveitamento da regeneração natural. As espécies serão instaladas, sempre que possível, em povoamentos mistos ou em mosaicos de modo a promover a maximização da biodiversidade e a diminuição do risco de incêndio.

Divulgação

O Município de Vila Real é o primeiro aderir a este projeto, comprometendo-se a plantar um milhão de árvores no seu território nos próximos cinco anos. Amanhã, 26 de janeiro, irá arrancar na Campeã, com a plantação de várias espécies autóctones pelos alunos das escolas locais. Quercus, autarcas locais, representantes dos Baldios e o Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, também irão meter as mãos na terra.

“Um milhão de árvores para salvar o clima” irá melhorar a qualidade de vida das populações, considera a Quercus porque “o combate ao aquecimento global e às alterações climáticas tem de ser um combate de toda a sociedade” e lembra que o aquecimento global está diretamente relacionado com a acumulação de gases com efeito de estufa na atmosfera, como o CO2 e que “o método mais eficaz para retirar CO2 da atmosfera é plantar floresta”.