Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Éramos Douro... agora somos mundo!

Informadouro

Éramos Douro... agora somos mundo!

Fim de semana de adrenalina em Vila Nova de Cerveira vai ser marcado pela Taça Ibérica de Slalom

Direitos Reservados

 

A Taça Ibérica de Slalom disputa-se, este fim de semana, nas águas do rio Coura, em Azenha de Pagade. No sábado, até às 11h00, há uma sessão de treinos, sendo que a partir das 15h00, se dá lugar à classificatória. Já no domingo, a partir das 11h00, estão agendadas as finais da prova e respetiva entrega de prémios.

O rio Coura possui um “caráter selvagem” e boas condições hidrográficas e atmosféricas que fazem com que seja chamada a atenção de cerca de 170 atletas, para competição e convívio.

Este “esqui aquático”, que já vai na 9ª edição, dá ainda a oportunidade de apreciar as paisagens da Freguesia de Covas, em Vila Nova de Cerveira.

O desporto de Inverno, Slalom, marca mais um passo na afirmação do turismo de natureza da “Vila das Artes” que suscita a paixão pelo desporto de aventura e radical, entre rio e montanha.

Com este evento marca-se a abertura da temporada da modalidade em águas bravas, assim como o arranque da programação desportiva do Município de Vila Nova de Cerveira. São 300 metros de aventura e adrenalina nas águas bravas do rio Coura, onde os atletas participantes – portugueses e galegos - procuram obter a melhor classificação da modalidade para os campeonatos da Federação Portuguesa de Canoagem e da Federação Galega de Piraguismo, como também, e pelo segundo ano consecutivo, para a Liga Internacional do Noroeste Ibérico.

A organização do evento pertence ao Clube Desportivo Minho – Teixugos, com apoio da Federação Galega de Piraguismo, da Federação Portuguesa de Canoagem, do Concello de Tomiño, da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e da Junta de Freguesia de Covas.

“Um milhão de árvores por município para salvar o clima” arrancou em Vila Real

Nuno Silva

O Município de Vila Real foi o primeiro aderir ao projeto promovido pela Quercus “Um milhão de árvores por município para salvar o clima” e, esta tarde, deu início na freguesia de Campeã ao desafio de plantar um milhão de árvores no seu território nos próximos cinco anos.

Nuno Silva

Os alunos da Escola Básica de Vendas de Cima foram convidados a participar nesta ação que contou com a presença do Secretários de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas.

“Um milhão de árvores para salvar o clima” tem como propósito a reflorestação de áreas públicas, privadas ou comunitárias com árvores de espécies autóctones como o carvalho, pinheiro, zimbro, azevinho, medronheiro, entre outras, utilizando técnicas de plantação, sementeira e aproveitamento da regeneração natural. As espécies serão instaladas, sempre que possível, em povoamentos mistos ou em mosaicos de modo a promover a maximização da biodiversidade e a diminuição do risco de incêndio.

 

Quercus considera inaceitável a situação recorrente de poluição no rio Tejo e exige a tomada de medidas urgentes por parte do Governo e da Assembleia da República

 

Nuno Silva

Na ordem do dia, a poluição do rio Tejo. À margem da ação “Um milhão de árvores para salvar o clima”, o presidente da Quercus, João Branco, considerou “inaceitável a recorrência da prática de crimes ambientais por parte de várias entidades, que continuam a poluir o maior rio de Portugal sem serem devidamente responsabilizadas”, adiantando que se Governo e Assembleia da República não são capazes de tomar medidas políticas e legislativas eficazes para acabar com este flagelo que atinge o rio Tejo há vários anos, “é indispensável que estas duas Instituições produzam urgentemente um quadro legislativo e normativo que acabe de vez com a impunidade dos poluidores em Portugal”, defende João Branco.

O rio Tejo nos últimos dias tem apresentando uma cor escura, um cheiro nauseabundo, com a formação intensa de espuma em particular junto ao açude de Abrantes e junto à Barragem de Belver. Apesar de ainda se aguardar pelos resultados das análises oficiais que foram realizadas pelo Ministério do Ambiente, é muito provável que a origem desta poluição esteja numa das várias fontes de poluição industrial e doméstica que fazem descargas no rio Tejo.

Quercus

Entretanto o Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, fez saber que, como uma espécie de medida de precaução, a empresa Celtejo “terá de reduzir para metade o volume do efluente rejeitado o que implica a redução da laboração durante dez dias”, ao fim dos quais serão feitas novas análise para avaliar a concentração de oxigénio dissolvido na água, que não deverá ter um valor superior a 0,5 miligramas por litro, mas que a 24 de janeiro chegou a atingir 1,1 miligramas por litro.

Na opinião da Quercus, este grave problema de poluição e atentado aos valores naturais nacionais só poderá ser resolvida com diversas alterações legislativas, entre as quais a alteração do Decreto-Lei n.º 236/98, de 1 de agosto, que estabelece normas, critérios e objetivos de qualidade com a finalidade de proteger o meio aquático e melhorar a qualidade das águas em função dos seus principais usos.

Barcelos: Grupo de jovens "exige" pedido de desculpas de padre de Carapeços

Grupo de Jovens de Santiago de Carapeços - Kyrios

 O Grupo de Jovens de Santiago de Carapeços - Kyrios está a exigir um pedido de desculpas público a João Antunes, o pároco da freguesia de Carapeços.

Está em causa o facto de o padre ter, no final da missa das 11h do passado domingo, ter referido que "um elemento do Grupo de Jovens lhe enviou mensagens de cariz insultuoso, maltratando-o", segundo o comunicado emitido pelo grupo na sua página de Facebook.

Segundo o jornal Barcelos Popular, as mensagens terão sido trocadas no sábado, dia da festa de S. Sebastião e após o sermão feito pelo pároco.

O grupo confirma a existência de mensagens "a título pessoal" do elemento do grupo mas nega que as mesmas sejam insultuosas. "É absolutamente falso o facto de o conteúdo das mensagens enviadas pelo jovem ser insultuoso. Pelo contrário, este jovem, e nas suas palavras, é “apenas uma ovelha que esperava deste pastor uma orientação e não repreensões”. Já o mesmo não podemos afirmar quanto às mensagens de resposta enviadas pelo responsável da Paróquia, cujo conteúdo em nada procurou esclarecer as inquietações do jovem, apenas o desvalorizando, de um modo agressivo e desprovido de qualquer argumentação lógica.", refere o comunicado do grupo.

No mesmo comunicado, o grupo exige "um pedido de desculpas público. Não apenas ao jovem em questão, mas ao Grupo de Jovens na totalidade" que diz concordar "veementemente" com as "opiniões expressas nas referidas mensagens".

Ângela Arantes, presidente do Kyrios, quando contactada pelo jornal local, escusou-se a comentar a situação. Já João Antunes referiu ao jornal que a situação "não é do vosso interesse ou da vossa responsabilidade", ameaçando de processo judicial caso fosse publicado "alguma coisa" que o pároco considerasse "não verdadeiro ou insultuoso".

Leia o comunicado na íntegra

Barcelos: moradores querem encerramento de discoteca

Facebook Vaticano Barcelos

 

Os moradores do edifício "Fábrica Barcelense", no centro da cidade de Barcelos, vão avançar com uma ação judicial para fechar a discoteca "Vaticano", localizada ao lado do prédio. Segundo o jornal Barcelos Popular, a falha nas conversações entre os moradores, a gerência do espaço e a câmara municipal para que se cumprissem os "pressupostos" que autorizam o "normal funcionamento" do espaço estará na origem desta contenda.

Em reunião de condóminos, realizada no passado dia 20 de dezembro, ficou a saber-se que a empresa gestora do condomínio pretende avançar com uma providência cautelar. Já em janeiro do ano passado, os moradores ameaçaram com um pedido de encerramento da discoteca. Desde aí, têm sido mantidos vários encontros com a câmara e com Carlos Arezes, gerente do espaço, que, agora, é acusado de não ter assumido nenhum "compromisso".

Segundo o jornal local, os moradores queixavam-se, em janeiro, que a discoteca funcionava sem policiamento. Em declarações nessa altura, Carlos Arezes declarava a sua gerência tinha sido "a única a colocar pessoas a limpar de vez em quando o prédio nos finais da noite" e que também tinha sido a única a contratar policiamento entre outubro de 2014 a junho de 2015. O fim do policiamento acontece quando a PSP informa o gerente que o "Vaticano" "não pode legalmente contratar policiamento para um espaço público e que, se houvesse policiamento, tinha de ser três policiais normais e um oficial. A casa nunca poderia sustentar tal custo", sustentava Carlos Arezes.

O município referiu ao jornal estar a "recolher informação" sobre este assunto.

Barcelos: Piscinas municipais fecharam há um ano

Município de Barcelos

 A imprensa local já lhe chama "a nova obra de Santa Engrácia". As piscinas municipais de Barcelos fecharam há um ano para "obras de requalificação" que só deveriam demorar... três meses.

Sem indicações por parte da câmara, os funcionários respondem aos utilizadores das piscinas que o local ainda está em obras e não tem prazo de reabertura.

Segundo o jornal Barcelos Popular, Miguel Costa Gomes, presidente da município referiu que o prazo foi prorrogado até ao dia 11. O empreiteiro quis estender a data até ao dia 29 de janeiro mas os técnicos camarários entenderam que não havia necessidade para tal. À questão do jornal local, Costa Gomes disse que tinha a informação de que a obra estava na fase de "colocação das máquinas". No entanto, não foi isso que os colaboradores municipais disseram ao jornal: a obra não está perto de concluir e não é previsível que o equipamento municipal reabra antes de março.

Sempre que era questionado pelos jornalistas, o autarca justificava o atraso com a complexidade da obra, acrescentando ao facto das máquinas só serem produzidas fora do país e à questão burocrática dos concursos públicos.

As piscinas municipais fecharam de forma repentina a 7 de fevereiro do ano passado depois de um fim-de-semana de mau tempo que colocou parte da estrutura em risco. A assinatura do contratato de obra só foi celebrado em 18 de julho tendo as obras começado em setembro. A obra foi orçamentada em 600 mil euros.

Já em 2015, segundo o Barcelos Popular, a Delegação de Saúde alertou o munícipio para a necessidade urgente de fechar o equipamento devido a "deficiências".