Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Somos mundo!

Informadouro

Somos mundo!

A partir de junho haverá 170 Equipas de Intervenção Permanente nos bombeiros voluntários

aidan-bartos-352444-unsplash.jpg

De acordo com a Diretiva Operacional nacional (DON), que estabelece o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para 2018, as corporações de bombeiros voluntários vão ter, a partir de 01 de junho, mais 79 Equipas de Intervenção Permanente (EIP). O país passará a dispor de um total de 170 EIP.

As 79 novas EIP, constituídas por cinco elementos, estarão em permanência nos quartéis de bombeiros para ocorrer a qualquer situação de urgência e emergência registada no concelho, totalizando 395 operacionais.

Com estas novas EIP, os bombeiros voluntários passam a ter 170 Equipas de Intervenção Permanente, compostas por 850 elementos profissionais.

Os bombeiros dos distritos da Guarda, Lisboa e Vila Real são aqueles que vão ter mais novas equipas, oito em cada um, seguido de Viana do Castelo e Viseu (sete).

Os bombeiros do distrito de Lisboa não têm atualmente qualquer EIP.

A DON indica que é no distrito de Aveiro que existe o maior número destas equipas profissionais dos bombeiros voluntários, num total de 23.

Mais de metade das casas afetadas por incêndios já foram reabilitadas através do Fundo Revita

Fundo Revita

O Fundo Revita já permitiu a conclusão da reconstrução de 149 das 265 casas de primeira habitação afetadas pelos incêndios de junho de 2017. Pedrógão Grande foi o concelho com mais intervenções.

De acordo com o terceiro relatório trimestral, publicado na segunda-feira na página da internet do Fundo Revita “as 265 casas de primeira habitação estão todas em andamento. Deste conjunto, à data do presente relatório, destacam-se 249 casas em fase mais avançada, nomeadamente 100 habitações com obras em execução e 149 já concluídas”.

O Fundo Revita é o instrumento criado pelo Governo para apoiar as populações e a revitalização das áreas afetadas pelos incêndios ocorridos em junho de 2017, nos concelhos de Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande.

De sublinhar que, para além destes três concelhos, as 265 casas alvo de obras de reconstrução pelo Revita, através de protocolos com os outros fundos e donativos, nomeadamente a União das Misericórdias Portuguesas, a Fundação Calouste Gulbenkian e a Cáritas Diocesana, localizam-se também nos municípios adjacentes de Góis, Pampilhosa, Sertã e Penela.

Há ainda um protocolo assinado entre o Fundo Revita e a Cruz Vermelha Portuguesa para que esta assuma o papel de Coordenadora Logística de Apetrechamento das habitações. Já o Revita está diretamente responsável pela reabilitação de “96 casas, com um perfil de intervenção mais exigente já que se tratam, na sua maioria, de reconstruções integrais”, o que corresponde a 36% do total das 265 casas de primeira habitação a reabilitar.

No documento publicado segunda-feira pode ainda ler-se que das obras realizadas “mais do que 42% das intervenções são acima dos 25 mil euros, sendo o concelho de Pedrógão Grande aquele que envolve maior volume de intervenções” e que “a execução financeira é naturalmente mais faseada, encontrando-se pago, no que diz respeito a habitações, o valor total de 862.324,58 euros”. Relativamente ao apetrechamento das casas reconstruídas, o processo está concluído em 15 habitações, indicam os dados até 31 de março deste ano.

“No concelho de Figueiró dos Vinhos, de um total de seis habitações a apetrechar neste território, cinco estão já equipadas. Em Castanheira de Pera, com 14 habitações para apetrechar, encontram-se duas em processo de equipamento e duas concluídas. Em Pedrógão Grande estão previstas 51 unidades para apetrechamento, estando oito habitações concluídas e seis casas em fase de reequipamento”, apontou o relatório.

Os incêndios que deflagraram na zona de Pedrógão Grande, distrito de Leiria, em junho do ano passado, provocaram 66 mortos e mais de 250 feridos.

Avis assinala Dia Internacional dos Monumentos e Sítios com atividades variadas

Divulgação

O Município de Avis, em associação com a Direção-Geral do Património Cultural, assinala o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios com um programa recheado de atividades que visam a representação deste momento anual de celebração da diversidade, salvaguarda e valorização patrimonial de todo o mundo.

A proposta deste ano do ICOMOS, conferindo especial atenção à temática "Património: de geração para geração”, com o objetivo de “impulsionar o diálogo intergeracional enquanto ferramenta de conhecimento, de desenvolvimento e de diversidade”, estará em destaque, no Município de Avis, de 18 de abril a 4 de maio, com a Exposição “António Bonito – O Artesão”, uma homenagem a este artesão local e à sua arte pastoril, enraizada na cultura popular da região, que abrirá, amanhã, 18 de abril, pelas 10h00, a assinalar a reabertura dos Espaços Museológicos MUSCA e CIOA, após as obras de manutenção de que foram alvo.

Às 16h00 será apresentado o segundo Circuito do Roteiro Megalítico “Entre Pedras e Pedrinhas – Circuito da Ribeira de Seda”, desenvolvido no âmbito do Plano de Valorização de Sítios e Monumentos Arqueológicos, que incluirá também uma proposta de visita em torno da Ribeira de Seda, dirigida ao público em geral.

O Programa prossegue, no dia 19, com a 1.ª Edição do Workshop “O Borrego e o Folar”, que irá juntar diferentes gerações, entre público sénior e público escolar, na preparação de um borrego e de um folar no Forno Comunitário de Maranhão, com o objetivo de regenerar memórias, divulgar práticas culturais e transmitir e preservar saberes e sabores ancestrais às gerações mais novas.

Também “A Arte do Pão e o Pão na Arte”, um Workshop, em 2.ª Edição, onde os participantes, séniores e crianças em idade escolar, irão ter a possibilidade de experimentar todas as fases de confeção de pão, num forno de lenha, a realizar, em todas as Freguesias/Uniões de Freguesias, de 23 de abril a 4 de maio, integra a programação do evento.

Portimão “Abraça Abril”

Divulgação

Música, exposições, teatro, dança, literatura, juventude, história, jogos tradicionais, desporto e a Cerimónia de Assinatura dos Contratos – Programa 2018 com o Movimento Associativo são algumas das iniciativas que integram o programa oficial do 44º aniversário da Revolução dos Cravos na cidade de Portimão.

As cerimónias oficiais arrancaram com uma “Conversa com Políticos”, hoje, 17 de abril, nas Escolas Secundárias Manuel Teixeira Gomes e Poeta António Aleixo. Até ao dia da “Revolução dos Cravos”, 25 de abril, serão dias pautados por momentos de reflexão e debate com jovens, onde a música, a história, o desporto, o teatro e a literatura assumem um papel de relevo na evocação dos ideais da liberdade e da democracia. O programa deste ano conta com cerca de 35 iniciativas de diferentes índoles e com o forte envolvimento do associativismo local. Estas iniciativas são dirigidas a vários públicos e respiram consciências e liberdades, nos equipamentos municipais, nas coletividades, onde todos têm a sua própria voz.

No dia 20 de abril, o Mercado da Avenida S. João de Deus recebe uma “Exposição de Cartazes do 25 de Abril”, oriunda do espólio de cartazes alusivos à efeméride do Museu de Portimão. Neste mesmo dia, pelas 21h00, o Marginália Bar será palco de um debate intitulado “Jovens falam aos Políticos”, organizado pela Associação DYPALL de Portimão.

No dia 21, pelas 21h30, o Grande Auditório do TEMPO – Teatro Municipal de Portimão recebe o espetáculo “Montanha Russa”, um teatro musical sobre a adolescência, integrado na Rede Eunice/Teatro Nacional D. Maria II.

No dia 23 de abril merece relevo a inauguração da Exposição “Abraçar Abril”, uma mostra dos cartazes do concurso e a entrega dos diplomas aos participantes do concurso que deu origem à imagem do 25 de Abril de 2018. Este momento terá lugar na Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes, às 18h00.

 

No dia 24 de abril, a revolução celebra-se como quando foi conquistada: com o povo a cantar a liberdade. A música será a rainha com o Concerto Comemorativo do 25 de Abril de 1974 – “Liberdade”, pelo Grupo Brasa Doirada, agendado para as 21h30, no Grande Auditório do TEMPO – Teatro Municipal de Portimão.

No dia 25 de abril, na Praça 1º de Maio e a partir das 09h00, o município evocará o 25 de Abril com uma cerimónia que integra o Hastear das Bandeiras e a interpretação do Hino Nacional pela Banda Filarmónica da Sociedade Filarmónica Portimonense e pela Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Portimão, a que se seguirá a Arruada e Largada de Pombos. Pelas 10h00 tem início a XIV Corrida da Liberdade, que tradicionalmente junta centenas de participantes e tem partida marcada para as 10h00 na Zona Ribeirinha de Portimão (junto ao coreto). Às 10h30 terá lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a Sessão Solene, com as intervenções dos representantes dos partidos políticos com assento na Assembleia Municipal de Portimão, do respetivo Presidente e da Presidente da Câmara Municipal de Portimão, intercaladas por Momentos Musicais protagonizados pelo Grupo Juvenil do Grupo Coral Adágio e pela Orquestra Juvenil de Guitarras do Algarve.

Ainda no dia 25, pelas 16h00, irá realizar-se no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a Cerimónia de Assinatura dos Contratos-Programa 2018, no valor total de cerca 630.000 euros, mais 200.000 euros que o ano transato. A fim de reconhecer o papel relevante da atividade e intervenção na vida do Município, a autarquia irá atribuir mais uma vez apoios financeiros às várias associações do Concelho, nomeadamente, culturais/recreativas, desportivas e sociais.

Às cerimónias oficiais do programa junta-se um conjunto de Festividades, com destaque para “Um dia na Pré-História”, a Feira do Livro Usado, o 2º Mercado da Bagageira Livre, e outras organizadas por várias associações, que passam por diversas manifestações desportivas e culturais.

A criação da imagem alusiva às Comemorações do 25 Abril deste ano foi desenvolvida no âmbito do concurso “Abraçar Abril”, implementado pelas bibliotecas escolares do 3º Ciclo do Ensino Básico das Escolas do Município de Portimão, e o cartaz vencedor tem a assinatura da aluna do 9ºB, Mariana Conceição, da Escola EB23 D. Martinho Castelo Branco – Agrupamento de Escolas Poeta António Aleixo.