Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Éramos Douro... agora somos mundo!

Informadouro

Éramos Douro... agora somos mundo!

Papa Léguas #01: Dourear

Papa léguas

(clique na imagem e surpreenda-se)

Douro, meu belo país do vinho e
do suor,
bárbaro canto arrancado à
penedia
por um destino que nos faz andar
da alma para os olhos, dos olhos
para a alma!”

- António Cabral [1931 – 2007]

Aqui Douro!... de estradas serpenteantes. Um traçado perseguido por um Rio prateado que é (D)ouro e espelha nele a tela que o ladeia. Margens rasgadas em socalcos por mãos calejadas de sabedoria que esculpem no xisto o suporte da videira que dará uva que será vinho. Fruto pisado por pés dançantes de rostos de rugas profundas. Como o néctar que fez desta a primeira Região Demarcada do Mundo.

 

Direitos reservados

 

Terra que deu os “Contos da Terra 2006” e “Pôpa Black Edition 2015”. Vinhos de anos e com perfis diferentes, mas que respiram Douro. O primeiro, versátil, jovem, fresco e de aroma frutado, frutos vermelhos ligados a uma frescura atribuída pela menta. Junta Tinta Roriz (30%), Touriga Franca (30%), Touriga Nacional (30%) e Tinta Barroca (10%), num processo de fermentação e estágio em cubas de inox que lhe confere uma cor vermelho rubi.

O segundo, mais elaborado, de conforto, quente, de cor vermelho rubi, com um aroma limpo e intenso caracterizado, no início, pela fruta madura e um leve final tostado, marcado pelas especiarias. Nasce de um blend de Vinhas Velhas (30%), Touriga Franca (20%), Tinta Amarela (10%) – vinificadas em lagar com pisa a pé – e Tinto Cão (10%), Tinta Roriz (30%) – vinificadas em cubas de inox. O estágio decorreu, na totalidade, em barricas usadas de carvalho francês, durante períodos de 10 a 15 meses.

Direitos reservados

 

Os novos tintos lançados pela Quinta do Pôpa, situada em Tabuaço, numa verdadeira janela para o rio, prometem fazer reviver o charme das lareiras e o prazer da literatura e convidam a um brinde diário numa mesa repleta de boa gastronomia.

 

Gastronomia que pode ser entre o contemporâneo e o tradicional. Na Cozinha da Clara. Onde a Primavera se transforma em sabores pelas mãos do chef Pedro Cardoso. Neste que é o restaurante da Quinta de la Rosa, no Pinhão, sobranceira ao Rio Douro, e que está desde 1906 na posse da família de Sophia Bergqvist. As novidades gastronómicas estendem-se à ‘Carta de Tapas’ e à ‘Carta da Primavera’. A primeira composta pela típica ‘tábua de queijos nacionais’ (€15) ou os ‘bolinhos de bacalhau da avó Clara’ (€6,00). A segunda sugere como entrada ‘lulas salteadas com esmagada de feijão frade e aroma a tinta de choco’ (€7,10) ou a tradicional sopa de cebola duriense e a “moira de Lamego” (€5,80) e ‘petingas crocantes com aioli de tomate seco’ (€6,10), entre muitas outras opções.

‘Corvina corada com texturas de ervilhas e sabores de chouriço’ (€20,10), ‘lombo de vitela com puré de aipo, legumes assados e chips de tubérculos’ (€23,90) são algumas das propostas de pratos principais. Se não quiser embarcar em modernices gastronómicas pode apostar no tradicional ‘cabrito com batata no forno e grelos ao alho’ (€25,10) e no ‘polvo à lagareiro com batata a murro e regado com o azeite extra virgem da Quinta de la Rosa’ (€24,40).

A refeição atinge a apoteose com o ‘bolo de chocolate com pimenta rosa e gelado de iogurte’ (€8,50) ou o ‘pastel de nata e o café expresso português na interpretação do chef’ (€6,70). Dois exemplos dos sete pecados que compõem a ‘carta’ das sobremesas.

 

Aproveite o resto da tarde para fazer uma caminhada ao longo da icónica parcela de vinha Vale do Inferno, plantada antes da I Guerra Mundial e que conta com algumas das maiores paredes de xisto em todo o Douro.

Ideal para quem quer relaxar, desfrutando de uma privilegiada paisagem, a Quinta de la Rosa, com 55 hectares de área total, é produtora de vinhos do Douro e Porto; azeite e vinagre do Douro; e mais recentemente de cerveja artesanal. Depois de lançada em maio de 2017, a ‘La Rosa IPA’ (€3,50) chega agora ao mercado a primeira edição da ‘La Rosa Lager’ (€3,50). Até ao final do ano saíra a ‘La Rosa Stout’, que será feita com um vinho do Porto muito especial - o ‘Quinta de la Rosa Vintage’. Qualquer uma das duas cervejas artesanais é uma boa aposta para acompanhar as sugestões da ‘Carta de Tapas’.

 

Pernoite num dos 12 quartos ou numa das 4 suites, todos com vista para o rio Douro e acesso a uma piscina comum. Os preços variam entre os 135 e 165 euros. Existe ainda uma piscina privada, que pode ser usada em circunstâncias especiais. A Quinta tem ainda duas casas independentes, ambas com piscina privada: a Casa Amarela e a Casa de Lamelas, com cinco e três quartos respetivamente.

Se para o poeta duriense “a poesia é o que há de infinito em cada palavra” para o viajante o Douro é uma sinfonia inacabada onde se descobre sempre uma nota nova para acrescentar à partitura da paisagem classificada pela UNESCO de Património da Humanidade.

 

Relíquias guardadas no local por excelência de acolhimento e representação da memória, cultura e identidade da região vinhateira. O Museu do Douro. Inquilino da antiga “Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro Vinhateiro”. Um edifício emblemático que combina elementos das casas de quinta durienses e da arquitetura pombalina, constituído por uma Área de Exposições – onde está situada a exposição permanente “Douro: Matéria e Espírito”, um restaurante, Loja, Centro de Informação (Arquivo e Biblioteca), Sala de Leitura, Centro de Conservação e Restauro, Wine Bar e Esplanada no Jardim com vista para o rio Douro.

Neste museu a tradição coabita na perfeição com a modernidade. E é num edifício de arquitetura contemporânea, revestido com painéis de xisto preto, que fica situado o Serviço Educativo. Lugar onde se perpetuam as histórias desta região.

Que também se contam e recontam no Auditório Municipal do Peso da Régua. Onde desagua a cultura da afinação. Num palco sempre diversificado, com propostas que atravessam o universo da música ao teatro, passando pelo cinema, conferências e atividades ao ar livre.

Um "país" que os olhos não cansam de ver. Um refúgio para a alma onde acabamos sempre por voltar!

Mondim de Basto associa-se a Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Vale do Ave/Tribunal Arbitral

Município de Mondim de Basto

O Município de Mondim de Basto já formalizou um protocolo de admissão como associado do Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Vale do Ave/Tribunal Arbitral.

Os munícipes passam a ter a possibilidade de exercerem os seus direitos enquanto consumidores através do recurso ao Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Vale do Ave/Tribunal Arbitral, beneficiando de uma justiça de proximidade que é uma das valências desta associação. Nos litígios de consumo respeitantes ao fornecimento de energia elétrica, gás e água, bem como na prestação de serviços de comunicações eletrónicas, postais, de saneamento e de recolha de lixo, os centros de arbitragem tornam-se fundamentais para o exercício dos direitos dos munícipes/consumidores nos chamados serviços públicos essenciais.

Este serviço irá funcionar no Balcão Único da Câmara Municipal, que ficará responsável pelo encaminhamento das exposições ou reclamações dos munícipes para o referido Tribunal Arbitral.

Os Centros de Arbitragem de Conflitos de Consumo são uma forma rápida e eficaz, dos consumidores e agentes económicos resolverem os seus conflitos.

O Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Vale do Ave/Tribunal Arbitral é financiado pelas autarquias, pelo Ministério da Justiça e pelo Ministério da Economia através do Fundo para a Promoção dos Direitos dos Consumidores.

Presidente da Junta de Freguesia do Pinhão defende que resolução dos constrangimentos da Vila deve envolver todos os "atores" da região duriense

Junta de Freguesia do Pinhão

O presidente da Câmara Municipal de Alijó, José Paredes, aproveitou a presença do Ministro do Ambiente, Pedro Matos Fernandes, para endereçar ao Governo um pedido de apoio “para resolver o colapso da vila do Pinhão”. A Junta de Freguesia do Pinhão reagiu admitindo que o fluxo turístico tem provocado na vila uma enorme pressão sobre diversos sistemas, nomeadamente o abastecimento de água, a rede viária e os resíduos sólidos urbanos mas recorda que o problema não é de agora.

Junta de Freguesia do Pinhão

A Presidente da Junta de Freguesia, Sandra Moutinho, lembra que há vários anos se verifica a degradação das infraestruturas “sem que nada tenha sido feito”. A última grande intervenção na vila foi na Avenida Marginal “numa altura em que o Douro e o turismo, como hoje o conhecemos, era uma miragem”.

A autarca realça que, desde que tomou posse, que a resolução dos problemas estruturais da vila tem sido a sua prioridade tendo feito diversos contactos com entidades públicas e privadas na região, “têm sido realizadas diversas reuniões, a própria Junta de Freguesia tem ideias concretas sobre as intervenções necessárias e já estamos também em contacto com os senhores deputados a quem expusemos o problema”.

Sandra Moutinho refere ainda que este projeto não é da vila do Pinhão nem do concelho de Alijó, “mas sim de toda a região” e que é nesse enquadramento que uma solução deverá ser equacionada e anuncia que nas próximas semanas vai continuar a ronda de reuniões e contactos que tem estabelecido estando confiante que todas as entidades tudo farão para transformar a vila num espaço mais confortável e digno do Douro Património Mundial.

Jornadas Nacionais sobre Conservação de Natureza e Educação Ambiental para a Sustentabilidade realizam-se este fim de semana em Vouzela

Divulgação

Vouzela acolhe este fim-de-semana, 28 e 29 de abril, as XIX Jornadas Nacionais sobre Conservação da Natureza e Educação Ambiental para a Sustentabilidade promovidas pelo FAPAS - Fundo para a Proteção dos Animais Selvagens, ONG do Ambiente, em parceria com a Câmara Municipal de Vouzela.

Os objetivos da iniciativa passam por conhecer a diversidade da floresta portuguesa, os seus atributos e os serviços que presta à sociedade, identificar algumas das principais ameaças da floresta, conhecer planos para a conservação da fauna e flora, refletir sobre a ameaça da energia nuclear, conhecer ações de educação Ambiental para a Conservação da Natureza, conhecer estratégias de Educação Ambiental para o sucesso escolar; promover a participação cidadã através das tecnologias e aplicativos móveis.

As jornadas têm como público-alvo professores dos diferentes níveis de ensino e educadores de infância, educadores ambientais, estudantes, técnicos de ONGs e autarquias, investigadores e jovens.

As jornadas serão acreditadas para educadores de infância e professores do Ensino Básico e Secundário.

Moimenta da Beira: Festas em honra de S. Torcato, o santo do chapéu milagreiro

Divulgação

Em Cabaços, Moimenta da Beira, arrancam este fim-de-semana, 28 e 29 de abril, as festas em honra de São Torcato. Esta grande romaria acontece também no fim de semana de 5 e 6 de maio, o que faz dela uma das maiores e mais tradicionais da região.

Município de Moimenta da Beira

Esta festa ganhou fama por causa do chapéu “milagreiro” do santo que os devotos acreditam que concede graças. Segundo a crença popular, colocar o chapéu de S. Torcato “cura” dores e doenças da cabeça, do peito e dos membros. A tradição, assistida por mordomos ou “mesários”, consiste em retirar o chapéu da imagem do santo para o colocar, por instantes, na cabeça dos devotos, homens, mulheres e crianças que se ajoelham junto do altar da sagrada imagem.

Os festejos dos dois fins-de-semana repartem-se pelas duas capelas do Santuário de S. Torcato (o Velho e o Novo) e pela Igreja Matriz de Santo Adrião, padroeiro da freguesia. Haverá eucaristias, procissões, fogo de artifício, leilão e bandas de música.

À margem do programa destaque ainda para a 6ª Concentração de Telescópios de Moimenta da Beira que, na noite de 12 para 13 de maio, inclui observações noturnas do céu no monte do Santuário, iniciativa do Clube das Ciências da Escola Secundária de Moimenta da Beira com o apoio da Câmara Municipal.

Galo de Cabidela é a proposta de Cerveira para o último fim de semana gastronómico do mês

Divulgação

A partir de hoje, 27 de abril e até domingo, 29 de abril, Vila Nova de Cerveira serve mais uma edição dos Fins-de-semana Gastronómicos dedicada ao “Galo de Cabidela”. Um convite que se estende a conhecer o concelho numas miniférias associadas ao feriado do 1º de Maio.

A proposta de ementa estará disponível em 11 estabelecimentos de restauração aderentes que apresentam, então, o tradicional Galo de Cabidela, acompanhado pelo bom vinho da região e, no final, um delicioso café acompanhado pelo crocante e aromatizado biscoito de milho.

A “Gastronomia e Vinhos” da região são por si só um bom cartaz turístico, mas há mais vida em Cerveira para além deste binómio. Há todo um património cultural, histórico e natural que lhe confere o título de ‘Cerveira, arte e beleza natural’.

"Arcos à Mesa" este fim de semana com Cabrito assado no forno

Divulgação

Este fim de semana, dia 28 e 29 de abril, o cabrito assado no forno vai ser o protagonista nas ementas dos restaurantes de Arcos de Valdevez, acompanhado pelos vinhos verdes de produtores e engarrafadores locais.

Os doces também não podem faltar podendo a escolha recair no bolo de discos, na broa de milho, na laranja de Ermelo ou nos charutos de ovos.

O que importa mesmo é aproveitar o fim de semana para visitar este concelho que se destaca por estar inserido em pleno Parque Nacional Peneda Gerês, Reserva Mundial da Biosfera, e ter localidades e monumentos de grande beleza e riqueza histórica.

Exemplo de Soajo, com a sua Eira Comunitária dos Espigueiros, um dos ex-libris do concelho, classificado pelo IGESPAR como Imóvel de Interesse Público desde 1983; Sistelo, localidade que viu a sua paisagem cultural ser classificada como monumento nacional, a primeira do país a obter este reconhecimento, e ainda vencedora do concurso 7 Maravilhas de Portugal Aldeias; ou o Santuário Mariano de Nossa Senhora da Peneda, situado na freguesia da Gavieira e construído entre os finais do Séc. XVIII e os meados do Séc. XIX e o Paço de Giela, monumento nacional desde 1910, o qual é atualmente um local de visitação obrigatório no concelho e na região.

Ribeira de Pena: Fim de semana de adrenalina com Downhill e Futsal

Município de Ribeira de Pena

Santa Marinha, em Ribeira de Pena, vive este fim de semana momentos de adrenalina pura com a Maratona de Futsal, sábado, 28 de abril e a 4ª etapa da taça DHI Cyclin Portugal, sábado e domingo.

Divulgação

Para participar na competição de futsal a inscrição é de 25 bolas. O primeiro lugar do pódio vale 150 bolas, o segundo 100 e o terceiro, 50 bolas.

Divulgação

Na pista de Santa Marinha vai estar a quarta etapa da Taça de Cyclin Portugal Downhill Internacional C2. Sábado e domingo, entre as 9h00 e as 10h00, decorrerão os treinos livres. A competição está marcada para as 11h00 de domingo, 29 de abril.

Ambas as iniciativas são organizadas pela Associação Cultural, Desportiva e Recreativa de Santa Marinha, em parceria com a Junta de Freguesia de Santa Marinha e o Município de Ribeira de Pena, com o apoio de várias entidades locais.

Barcelos: Feira grossista regressa a Vila Boa

Blogue Rosa dos Ventos/Direitos reservados

 

A feira grossista de Barcelos, que estava na freguesia de Baqueiros desde 2001, vai regressar a Vila Boa, avança o jornal Barcelos Popular

Segundo o semanário local, os atuais 23 feirantes vão ser colocados junto ao estádio cidade de Barcelos. A previsão é de que o número de feirantes venha novamente a aumentar, visto que, a feira regressa à malha em 1991, quando a feira transitou do Campo da Granja (terreno frente às intalações dos bombeiros voluntários de Barcelos) para Vila Boa, contava com 140 comerciantes. Com o arranque das obras do estádio, muito não renovaram a licença. Em 2001, os feirantes já eram menos de 100.

O regresso da feira grossista a Vila Boa está apontado para 10 de maio.