Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Informadouro

Somos mundo!

Informadouro

Somos mundo!

No Dia da Unidade RI 13 Evoca 100 anos da Batalha de La Lys

Divulgação

Os 100 anos da Batalha de La Lys vão ser assinalados pelo Regimento de Infantaria n.º 13, em Vila Real, no dia 9 de abril. Evocação do centenário e cerimónia militar Comemorativa do Dia da Arma de Infantaria e do RI13 será presidida pelo Vice-Chefe de Estado-Maior do Exército e Diretor Honorário da Arma de Infantaria, Tenente-General Fernando Celso Vicente de Campos Serafino.

A Guarda de Honra estará na Praça do Município pelas 10h00, seguindo-se a cerimónia militar, às 11h00, na avenida 05 de outubro, junto à estação dos caminhos de ferro, onde, em 21 de abril de 1917, os militares do RI13 integraram o Corpo Expedicionário Português e embarcaram com destino à Flandres. A cerimónia militar termina com o desfile da praxe.

No âmbito das comemorações do centenário da Batalha de La Lys foi apresentado no passado dia 2 de abril pelo Coronel Mendes Farinha, Comandante do Regimento de Infantaria nº 13, o livro “Vila Real RI 13 – Memória da Grande Guerra” da autoria de Joaquim Ribeiro Aires. Nos Claustros da Câmara Municipal de Vila Real está patente a Exposição “Evocação da GG – Batalha de La Lys”.

Iremos até onde a Pátria for,

E seja em paz,

Ou seja em guerra,

Que este clamor

Vibre imortal,

De mar em mar,

De serra em serra:

Portugal! Portugal! Portugal!

Hino do Exército, 1945,

Letra de Adolfo S. Muller

 

Os primeiros homens do Corpo Expedicionário Português (CEP) embarcam em fevereiro de 1917, em Lisboa, com destino à Flandres juntando-se a franceses e ingleses para lutarem naquela que ficou para a história como a Primeira Guerra Mundial que se arrastava desde 1914.

O cenário era de horror. Os portugueses, rurais e analfabetos na sua maioria, não estavam preparados para aquele tipo de guerra e, na madrugada de 9 de abril de 1918, após meses na Frente Ocidental e sem o apoio logístico necessário, são surpreendidos pela Ofensiva da Primavera.

Do lado português estavam cerca de 20.000 homens e do lado alemão 100.000 soldados preparados para arrasar os portugueses nas margens do Rio Lys, na região da Flandres, Bélgica. As forças portuguesas assumiram a disposição de um trapézio, cuja face voltada para o inimigo se estendia por 11 km, e dispuseram-se em três linhas de defesa. Para o Corpo Expedicionário Português este foi um dos confrontos mais sangrentos que enfrentou tendo resultado 1341 mortos, 4626 feridos, 1932 desaparecidos e 7440 prisioneiros.

Neste conflito houve um “bravo do pelotão”: Aníbal Milhais, natural de Murça. O soldado foi contra ordens superiores e enfrentou sozinho as ofensivas, possibilitando a retirada dos companheiros das trincheiras. Depois deste episódio andou vários dias à procura do seu pelotão que, entretanto, batera em retirada.

Milhais acabou por ficar conhecido como o soldado Milhões, um epíteto que nasceu com o elogio do seu comandante, Ferreira do Amaral: "Tu és Milhais, mas vales milhões".

Regressa então a Portugal e a terra onde nasceu, em reconhecimento dos seus feitos, altera o nome para Valongo de Milhais. Já a alcunha “Milhões’ passou a apelido dos seus descendentes. Aníbal Augusto Milhais morreu aos 75 anos.

O soldado “Milhões” recebeu a mais alta condecoração nacional: a de Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.

 

Azeite e Sétima Arte de “Milhões”

Divulgação

A Cooperativa dos Olivicultores de Murça vai lançar o Azeite Milhões, uma edição limitada de 2.000 garrafas que homenageia Aníbal Augusto Milhais, o herói da Primeira Guerra Mundial. O azeite foi produzido com azeitonas colhidas em oliveiras centenárias da aldeia do soldado e vai ser apresentado oficialmente, amanhã, 9 de abril, nas cerimónias para assinalar os 100 anos da Batalha de La Lys que decorrem em frança, na comuna de La Couture.

A para deste azeite da Porca de Murça “Milhões” foi também editado um pequeno livro que contém um texto inédito do escritor João Pinto Coelho, pedaços da história do soldado Milhões escritos pela neta Leonida Milhões e ilustrações da bisneta Mafalda Milhões.

Divulgação

No auditório do Centro de Cultura de Murça, decorrerá a antestreia nacional do filme “Soldado Milhões”, realizado por Gonçalo Galvão Teles e Jorge Paixão da Costa, no dia 10 de abril, às 21 horas.

O filme, que conta a história de Aníbal Augusto Milhais, um soldado nacional enviado para a Flandres, durante a Primeira Guerra Mundial, e que teve uma ação heroica durante a Batalha de La Lys, em França, chega às salas de cinema a 12 de abril.