Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Éramos Douro... agora somos mundo!

22
Fev18

Quercus propõem #40 dias sem plástico


helena margarida

Direitos Reservados

Estudos recentes mostram que 259 milhões de copos de café, 10 biliões de beatas de cigarros, 40 milhões de embalagens de take-away, 1 bilião de palhinhas de plástico e 721 milhões de garrafas descartáveis são consumidos anualmente em Portugal. Perante este cenário de aumento do consumo de produtos descartáveis a Quercus vai divulgar em Portugal durante os quarenta dias da Quaresma um desafio ambiental europeu e diário que convida a população a desistir dos produtos descartáveis sensibilizando para modos de vida mais amigos do Ambiente

Segundo a coordenadora de resíduos da Quercus, Carmen Lima “Portugal está em linha com os países que mais consomem este tipo de produtos, mas alguns deles, como a França e o Reino Unido, já com legislação pronta para eliminar o uso deste tipo de produtos e reduzir também o consumo de plásticos. A Quercus espera que Portugal passe rapidamente a fazer parte deste grupo de países”…

Direitos Reservados

A Associação ambientalista chama ainda a atenção para os microplásticos (pequenas partículas de plástico), um ingrediente comum em muitos cosméticos e produtos de higiene pessoal que são levados para uma rede de esgotos e que por serem demasiado pequenos para serem completamente filtradas nos sistemas de tratamento acabam no ambiente aquático.

“O grande problema destas partículas é que elas não ameaçam apenas a biodiversidade marítima, mas, como entram na cadeia alimentar dos animais, entram na cadeia alimentar dos humanos, podendo colocar a nossa saúde em risco”. As micropartículas de plástico encontram-se no sal, algas, peixes e aves.

Cerca de 72% de lixo marinho da costa portuguesa são objetos entre 50 µm e 20 cm e microplásticos (<5 mm).

Aceite o desafio da Quercus e partilhe a sua experiência através de fotografias ou vídeos, usando a hashtag #40DiasSemPlástico. Poderá incluir o logotipo da campanha na sua imagem, se a colocar em https://plastikfasten.bund.net/?l=pt

 

07
Fev18

Masterclass por Nuno Markl ensina Proença-a-Nova "como vencer na vida"


Joana Ribeiro Santos

Divulgação

 

Todos os quartos sábados de cada mês o Auditório Municipal de Proença-a-Nova oferece propostas culturais variadas que vão desde a música, passam pelo teatro e outros espetáculos performativos. A 24 de fevereiro a cidade irá receber uma masterclass dada por uma das vozes mais conhecidas da rádio, Nuno Markl.

Com base nas suas histórias tragicómicas pessoais, o radialista e comediante irá explicar aos presentes como ser um saco de pancada deprimente e vencer na vida… ou não sei bem como é que tudo aconteceu, mas vou tentar dar uma masterclass sobre isto. Este é o mote para o espetáculo humorístico com bilhetes já à venda na receção da Biblioteca Municipal de Proença-a-Nova.

O preço dos bilhetes para o espetáculo varia entre 7€ para público em geral e 3€ para estudantes.

30
Jan18

Proença-a-Nova: Laboratório de análises de vinhos do Centro de Ciência Viva da Floresta em expansão


helena margarida

Município de Proença-a-Nova

O laboratório de vinhos do Centro Ciência Viva da Floresta (CCV) em Proença-a-Nova analisou no período compreendido entre agosto de 2017 a janeiro de 2018, 3.446 amostras entre tintos, brancos e rosés. Um número que representa um aumento de mais de 1.600 amostras comparativamente à época de 2016 (entre agosto de 2016 e janeiro de 2017). Registou-se igualmente 118 novos clientes deste serviço.

O CCV da Floresta disponibiliza desde julho de 2012 este laboratório de análises de mostos e vinhos, que época após época tem registado aumentos ao nível do número de amostras recebidas e, consequentemente, do número de análises efetuadas. Este laboratório tem a finalidade de prestar serviços no controlo de maturação das suas uvas para planear a data da vindima e correções a realizar, análise de vinhos bem como prestar apoio em todo o processo de elaboração do vinho.

Ph, acidez total e volátil, dióxido de enxofre total e livre, título alcoométrico volúmico adquirido, fermentação maloláctica, massa volúmica a 20ºc. pacote de controlo de maturação de uvas, Peso de 200 bagos; peso por bago; acidez total; pH; título alcoométrico volúmico provável são as análises que são realizadas às amostras de vinho.

“Este laboratório foi uma forma de aproximar a população do nosso Centro, principalmente os pequenos e médios produtores de vinho da região”, sublinha Edite Fernandes, diretora executiva do CCV da Floresta, acrescentando que os clientes deste serviço se tornam visitantes do centro: “muitas vezes voltam com as famílias para visitar a exposição permanente ou participar nas atividades que o CCV da Floresta oferece”.

O CCV da Floresta foi inaugurado em 2007, promove a cultura científica e tecnológica na sociedade, recebe visitas escolares, realiza atividades para crianças, e aposta na inovação, exemplo disso é o Laboratório de Análise de Vinhos.

Em 2018 volta a realizar-se o Concurso de Vinhos, promovido pelo Município de Proença-a-Nova em parceira com o CCV da Floresta, inserido no 2ª Festival da Adega Típica, que acontece a 14 e 15 de abril, e que irá distinguir mais uma vez os melhores vinhos produzidos no concelho de Proença-a-Nova. O objetivo deste concurso é premiar os produtores amadores da arte de fazer bom vinho.

08
Jan18

Paisagens de Proença-a-Nova inspiram alunos de Belas Artes


helena margarida

Município de Proença-a-Nova

As paisagens de Proença-a-Nova serviram de inspiração aos alunos finalistas da licenciatura e de Mestrado em Escultura da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL) para a realização de trabalhos de avaliação dos respetivos cursos.

O primeiro grupo, composto por 38 alunos finalistas da licenciatura em Escultura, debruçou-se sobre a escultura efémera a partir da natureza da Aldeia Ruiva e imediações para desenvolverem o projeto para a disciplina de Escultura V. Inspirando-se na realidade que os rodeava e nos materiais que a envolvente lhes forneceu, como as cores das folhas outonais, as cascas das árvores, a terra, a água e o vento, os alunos realizaram esculturas a partir dos elementos naturais.

Para uma das professoras responsáveis, Andreia Pereira, este trabalho de campo é importante, “pois dá aos alunos a oportunidade de trabalhar em contexto real, com um conjunto de condicionantes como um espaço de tempo conciso para resolver o exercício com as condições que vão encontrar no local. Dá-lhes um sentido de responsabilidade mais apurado, o que é fundamental. É muito importante dar a estes alunos competências de responsabilidade e cumprimento de prazos, assim como os prepara para a comunicação com o outro, pois terão de explicar à população local o que estão a fazer e porque estão ali”.

O segundo grupo de alunos da FBAUL, composto por 11 alunos de Mestrado em Escultura, no âmbito da disciplina de Projeto e Laboratório em Escultura, realizou um trabalho de identificação do espaço físico e das vivências em aldeias com poucos habitantes do concelho: Fórneas, Esfrega, Herdade, Cunqueiros, Oliveiras, Figueira, Vale da Mua, Sobral Fernando, Ripanço; e aldeias abandonadas: Pedreira e Aldeia do Marcelino.

Esta residência artística decorreu durante o passado mês de dezembro ao abrigo do protocolo entre a Câmara Municipal de Proença-a-Nova e a instituição de ensino superior.

A partir da informação recolhida os alunos irão realizar um projeto para uma futura intervenção nestes espaços, nas diferentes localidades com várias configurações: aldeias com população residente e organizada num sentido comunitário de sustentabilidade; aldeias que são habitadas sazonalmente; aldeias onde existem apenas ruínas arquitetónicas como vestígios de um outro tempo e “encontrámos também uma população extremamente empática, aberta e interessada em comunicar connosco”, conta a professora.

O objetivo desta residência foi estabelecer relação com estes lugares abandonados ou em processo de abandono e com a realidade das pessoas que os habitam e dessa relação surgirá a base para os futuros trabalhos. Está previsto que este grupo regresse daqui a um ano, dando continuidade ao projeto realizado durante esta primeira residência. “No entanto, queremos salientar que o objetivo é que o resultado final tenha significado principalmente para a população de Proença-a-Nova”, completa Andreia Pereira.

07
Dez17

Proença-a-Nova já tem Orçamento para 2018


helena margarida

Município de Proença-a-Nova

A Assembleia Municipal de Proença-a-Nova aprovou o Orçamento e Grandes Opções do Plano para 2018, com a abstenção da bancada do PSD. Francisco Grácio, deputado da oposição, justificou esta posição da sua bancada “por motivos políticos”, mas espera um mandato positivo, assente sempre em defesa dos valores do concelho. “Iremos ter uma postura responsável, na defesa dos reais interesses do concelho. Esta será a nossa tónica à semelhança do mandato anterior”, acrescentou.

O presidente da câmara, João Lobo, diz que orçamento para 2018 representa um novo ciclo, mas também “é um documento de continuidade, em que sectores como a regeneração urbana, as áreas de acolhimento empresarial, a mobilidade, o apoio social, a educação, a cultura e o turismo serão sempre prioritários dentro da atividade municipal pois permitem-nos criar condições de atratividade a vários níveis”.

Fixado em 10.804.651 €, o orçamento tem entre as principais linhas mestras a regeneração urbana acompanhando os apoios que estão a ser concedidos aos particulares para, com condições atrativas, requalificarem o seu património dentro da Área de Regeneração Urbana de Proença-a-Nova. Do lado do município, está também a requalificação do Mercado Municipal já adjudicada e a requalificação dos acessos para a Zona Industrial de Proença-a-Nova, bem como a intervenção na Escola do Primeiro Ciclo de Sobreira Formosa, reconvertendo-a em Centro Escolar.

Este orçamento reforça também a preocupação com a floresta e com “a necessidade de procedermos à limpeza dos perímetros urbanos de modo a reduzirmos, nas nossas aldeias, o risco de incêndio. Este é um trabalho que iremos desenvolver de perto com as Juntas de Freguesia, a Associação de Produtores Florestais e ainda as associações locais, aqui entendidas como importantes interlocutoras com os proprietários”, afirmou João Lobo. Assim, será aplicada uma majoração até ao dobro a taxa aplicável aos prédios rústicos com áreas florestais que se encontrem em situação de abandono, no interior dos aglomerados populacionais e numa faixa de largura não inferior a 100 metros em redor dos referidos aglomerados.

Destaque ainda para o Programa de Apoio à Criação de Emprego, dando resposta à procura de emprego qualificado, com o incentivo à realização de estágios profissionais, mas também contribuindo para que o tecido empresarial se possa tornar mais competitivo; e para o Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar, cuja primeira fase será implementada até 2019.

Siga-nos no Facebook e no Twitter!

publicidade

Fale connosco

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Siga-nos no Facebook