Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Éramos Douro... agora somos mundo!

22
Fev18

Quercus propõem #40 dias sem plástico


helena margarida

Direitos Reservados

Estudos recentes mostram que 259 milhões de copos de café, 10 biliões de beatas de cigarros, 40 milhões de embalagens de take-away, 1 bilião de palhinhas de plástico e 721 milhões de garrafas descartáveis são consumidos anualmente em Portugal. Perante este cenário de aumento do consumo de produtos descartáveis a Quercus vai divulgar em Portugal durante os quarenta dias da Quaresma um desafio ambiental europeu e diário que convida a população a desistir dos produtos descartáveis sensibilizando para modos de vida mais amigos do Ambiente

Segundo a coordenadora de resíduos da Quercus, Carmen Lima “Portugal está em linha com os países que mais consomem este tipo de produtos, mas alguns deles, como a França e o Reino Unido, já com legislação pronta para eliminar o uso deste tipo de produtos e reduzir também o consumo de plásticos. A Quercus espera que Portugal passe rapidamente a fazer parte deste grupo de países”…

Direitos Reservados

A Associação ambientalista chama ainda a atenção para os microplásticos (pequenas partículas de plástico), um ingrediente comum em muitos cosméticos e produtos de higiene pessoal que são levados para uma rede de esgotos e que por serem demasiado pequenos para serem completamente filtradas nos sistemas de tratamento acabam no ambiente aquático.

“O grande problema destas partículas é que elas não ameaçam apenas a biodiversidade marítima, mas, como entram na cadeia alimentar dos animais, entram na cadeia alimentar dos humanos, podendo colocar a nossa saúde em risco”. As micropartículas de plástico encontram-se no sal, algas, peixes e aves.

Cerca de 72% de lixo marinho da costa portuguesa são objetos entre 50 µm e 20 cm e microplásticos (<5 mm).

Aceite o desafio da Quercus e partilhe a sua experiência através de fotografias ou vídeos, usando a hashtag #40DiasSemPlástico. Poderá incluir o logotipo da campanha na sua imagem, se a colocar em https://plastikfasten.bund.net/?l=pt

 

09
Fev18

Reflorestar Portugal de Lés-a-Lés arrancou hoje em Góis


helena margarida

Divulgação

A Federação de Motociclismo de Portugal (FMP) deu início hoje, 9 de fevereiro, à segunda fase da campanha de sensibilização “Reflorestar Portugal de Lés-a-Lés” com a doação de 400 castanheiros à Câmara Municipal de Góis.

Divulgação

A entrega dos jovens castanheiros foi acompanhada por folhetos que explicam as vantagens de plantar uma árvore autóctone em detrimento de uma espécie não natural da região, como a maior resistência a incêndios, promoção de solos mais férteis, de nascentes com mais água e melhor qualidade de paisagens e de vida a quem a rodeia.

Recorde-se que esta ação marca o arranque da doação de outras tantas plantas a cada um de sete outros concelhos flagelados por incêndios florestais nos últimos anos, de Trás-os-Montes ao Algarve, e atravessados pela última edição do Portugal de Lés-a-Lés Off-Road, em setembro de 2017.

Durante este passeio de vários dias, a FMP ofereceu simbolicamente – e ajudou à sua plantação – duas jovens árvores a Boticas, Vila Pouca de Aguiar, Belmonte, Covilhã, Góis, Pedrógão Grande, Mação e Silves, ficando a promessa de regressar com mais 400 árvores autóctones de cada região, em finais de Outono, num total de 3200 plantas. Como o final de 2017 foi anormalmente seco, esta segunda fase arrancou agora, em fevereiro, reunidas que estão as melhores condições de clima e solos.

As espécies escolhidas, com o apoio do biólogo Nuno Gomes Oliveira e parceria com o ICNF, vão desde os carvalhos-negrais, sobreiros e azinheiras, aos medronheiros e pinheiros-mansos, passando pelos choupos-brancos, cerejeiras-bravas, bordos e carvalhos-robles.

19
Jan18

“Vamos à ilha’vó?” e “O Arquivo do Avesso com: Genealogias: Parte I” são as próximas ações do CDI


helena margarida

Divulgação

O Centro de Documentação de Ílhavo (CDI) vai promover duas ações que serão uma viagem ao passado. “Vamos à ilha’vó?” é a proposta para o público pré-escolar, “O Arquivo do Avesso com: Genealogias” convida a embarcar toda a população.

“Vamos à ilha’vó?” é uma viagem ao passado, através de contos e lendas, contados por gente da terra. O objetivo deste projeto é transmitir a história, os costumes e as tradições, criando um sentimento de pertença desde tenra idade e proporcionar o contacto intergeracional entre as crianças e os contadores de histórias. Neste mês de janeiro, o destaque vai para a Vista Alegre, com estórias contadas pelo autor ilhavense Manuel Morgado, que marca encontro com os mais novos no dia 22, às 10h30.

No dia 25 de janeiro, pelas 14h30, tem lugar a primeira sessão de “O Arquivo do Avesso com: Genealogias”, atividade que convida a um regresso ao passado, de geração em geração, através da construção da árvore genealógica, conhecendo, assim avós, bisavós, trisavós, tetravós...

Ambas as atividades têm lugar no Centro de Documentação de Ílhavo, são gratuitas, mas sujeitas a marcação prévia (cdi@cm-ilhavo.pt ou 234 092 496).

17
Jan18

10 distritos do continente estão com aviso laranja até quinta-feira


Bruno Fernandes

Tempestade

 

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou vários distritos do continente em alerta laranja devido a agitação marítima.

Aveiro, Braga, Coimbra, Faro, Leiria, Lisboa, Porto, Setúbal e Viana do Castelo podem esperar "ondas de noroeste" que podem variar entre os 5 e os 11 metros de altura, segundo os dados.

O alerta mantém-se das 21h desta quarta-feira até às 12h do dia 18 de janeiro, descendo para alerta amarelo até às 19h do dia 19h em alguns distritos.

Também o arquipélago da Madeira está em alerta. A Costa Norte e Porto Santo estão em alerta amarelo até às 02h do dia 18, subindo para alerta laranja até às 21h do dia 18. Esta quinta-feira são esperadas ondas que podem atingir os 10 metros de altura.

16
Jan18

Município de Ílhavo celebra 120 anos da sua Restauração


Cláudia Paulo

Direitos reservados

 

Dia 13 de janeiro é assinalada a Restauração do Concelho de Ílhavo, que celebra a recuperação da coesão territorial e administrativa perdida durante três anos para o vizinho concelho de Aveiro.

A extinção do Concelho de Ílhavo ocorreu com o Decreto de 21 de novembro de 1895, motivada pela conjugação administrativa e judicial, e a redução da despesa pública.

A restauração do Concelho de Ílhavo foi feita pelo Decreto de 13 de janeiro de 1898, sendo que as Gafanhas, a Costa Nova e a Barra foram, por sua vez, anexadas ao território municipal de Ílhavo com os Decretos de 31 de dezembro de 1853 e 24 de outubro de 1855, assumindo o concelho a configuração atual.

Ao longo do ano destacados vários os momentos para refletir a importância deste marco histórico para o presente e futuro de todas as vivências e dinâmicas municipais. Neste sentido, foi criada a nova rubrica da Agenda de Eventos “Viver em…” que revela o sentimento dos ilhavenses sobre a extinção do concelho.

As diversas atividades centradas nos 120 anos da Restauração do Concelho de Ílhavo iniciam-se no próximo dia 17 de janeiro com os Encontros de História Local, que retratam a história deste marco, e com o lançamento do primeiro número da revista “Nossa Gente” com a biografia de Alberto Ferreira Pinto Basto, um dos impulsionadores do processo de restauração de 1898.

Siga-nos no Facebook e no Twitter!

publicidade

Fale connosco

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Siga-nos no Facebook