Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Éramos Douro... agora somos mundo!

17
Jan18

Casa da Música destaca o Quarteto de Cordas de Matosinhos na programação para 2018


Joana Ribeiro Santos

Direitos Reservados

 

Em 2018 a programação da Casa da Música é dedicada à Áustria e o Quarteto de Cordas de Matosinhos surge em grande destaque no calendário de espetáculos de janeiro.

Com dois concertos agendados, Vítor Vieira (1.º violino), Juan Carlos Maggiorani (2.º violino), Jorge Alves (viola) e Marco Pereira (violoncelo) apresentaram-se ontem a público num espetáculo que marcou a abertura oficial do ano da Áustria na Casa da Música. Foi prestado tributo a Joseph Haydn, considerado uma figura importante para o desenvolvimento dos quartetos de cordas, bem como a Wolfgang Amadeus Mozart e Franz Schubert.

O Quarteto de Cordas de Matosinhos volta ao palco a 27 de janeiro com Portugal XXI, um concerto onde se irá homenagear cinco dos compositores portugueses mais significativos das últimas décadas: Clotilde Rosa, Carlos Caires, Isabel Soveral, Pedro Amaral e António Pinho Vargas.

Com direção musical de Pablo Rus Broseta e participação do violoncelista francês Romain Garioud e do Digitópia Collective, o espetáculo incluirá peças encomendadas pela Casa da Música e pela Câmara Municipal de Matosinhos, entre as quais se conta “Tríptico”, de António Pinho Vargas.

“Anamorfoses, para violoncelo e orquestra”, de Isabel Soveral, composta por encomenda conjunta da Casa da Música e da Câmara Municipal de Matosinhos, será apresentada em estreia mundial neste concerto, marcado para as 16 horas, na sala Suggia.

20
Nov17

94% do território está em seca extrema


Bruno Fernandes

brad-helmink-54389.jpg

 

O Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) enviou, no inicio desta semana, informações sobre o estado da seca em Portugal e há um número que salta à vista: 94% do território está em seca extrema. 

Segundo se pode ler no comunicado, "quase todo o território está há cerca de 5/6 meses consecutivos em situação de seca severa e extrema, não se tendo verificado um desagravamento no início do outono como seria normal e se tem verificado em outras situações de seca". A 15 de outubro, o instituto era possível observar que "grande parte das regiões do interior e da região Sul de Portugal continental, apresentam valores de água no solo inferiores a 20%, sendo mesmo em alguns locais próximos ou iguais ao ponto de emurchecimento. Nas regiões do litoral Norte e Centro os valores variavam em geral entre 20 a 60 %."

pdsi20171115[1].jpgsmi_20171115[1].jpg

 

O IPMA prevê chuva a partir de quarta-feira mas apenas no norte do território continental. 

09
Nov17

Eixo Atlântico recebe nova vice-presidente


Cláudia Paulo

Direitos Reservados

 

Foi hoje eleita, por unanimidade, a vice-presidente do Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular, Luísa Salgueiro, que é também presidente da Câmara Municipal de Matosinhos. O anterior vice-presidente, Alfredo García, autarca de O Barco de Valdeorras, foi agora substituído por aquela que é a primeira mulher a ocupar a vice-presidência do Eixo. Luísa Salgueiro manifestou total empenho no trabalho conjunto de valorização do território da fachada atlântica da Europa e sublinhou que a eleição permitirá também continuar a afirmar Matosinhos no Noroeste Peninsular.

O Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular foi fundado em 1992, com doze cidades portuguesas e galegas das quais fazem parte atualmente: Braga, Bragança, Chaves, Guimarães, Peso da Régua, Porto, Vila Real, Viana do Castelo e Vila Nova de Gaia - e da Galiza - Corunha, Ferrol, Lugo, Monforete de Lemos, Ourense, Pontevedra, Santiago de Compostela, Vilagarcia de Arosa e Vigo.

É uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo promover o crescimento científico, tecnológico, económico, cultural e social destas regiões, através do desenvolvimento de projetos em diversas áreas, como o turismo e a proteção do meio ambiente, entre outros, chamando a atenção da União Europeia para que sejam providenciados apoios de forma a fomentar a cooperação transfronteiriça.

Matosinhos faz parte da organização desde 2007, tendo organizado em 2016 a Capital da Cultura do Eixo Atlântico. A instituição desenvolve programas de cooperação em áreas tão distintas como o desporto, a administração portuária, a cultura e a formação. Na reunião de hoje ficou também marcada a necessidade de unificação da coordenação do combate aos incêndios nos dois lados do rio Minho, tendo os autarcas considerado ser necessário reforçar a aposta na prevenção destes fogos.

Os vogais do organismo eleitos foram: Rui Moreira (Porto), Ricardo Rio (Braga), Abel Caballero (Vigo), Miguel Gomes (Barcelos), Xulio Ferreiro (A Coruña), Hernani Dias (Bragança), Rafael Cuiña (Lalín), José Tomé (Monforte de Lemos), Lara Mendez (Lugo) e José Maria Costa (Viana do Castelo).

05
Nov17

Ministro do Ambiente preside à assinatura de contratos com doze municípios, em Matosinhos


Joana Ribeiro Santos

Divulgação

 

O programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização recebeu 35 candidaturas, tendo sido eleitos para comparticipação os projetos dos municípios de Matosinhos, Almada, Seixal, Águeda, Figueira da Foz, Maia, Évora, Loulé, Mafra, Alenquer, Barcelos e Braga. A 6 de novembro, pelas 11h, estes municípios vão assinar os respetivos contratos de desenvolvimento com o Fundo Ambiental durante uma cerimónia que decorrerá no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Matosinhos. A sessão será presidida pelo ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

Um Laboratório Vivo para a Descarbonização é uma adaptação de um espaço urbano com identidade local de modo a tornar-se num espaço de teste, demonstração e apropriação de soluções tecnológicas integradas em contexto real que promovam a descarbonização da vida nas cidades. Cada autarquia receberá uma verba inicial de cerca de 80 mil euros, estando previsto que a fase seguinte do programa triplique este valor.

Impulsionar a descarbonização das cidades através de soluções tecnológicas que aumentem a eficiência e reduzam o consumo de energia, bem como contribuir para criar cidades inovadoras, sustentáveis e inclusivas que melhorem a qualidade de vida dos cidadãos, são dois principais objetivos do programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização. 

Em Matosinhos, o Living Lab foi já apresentado publicamente em setembro, estando já a ser testadas algumas tecnologias relacionadas com a gestão do trânsito urbano e com o aproveitamento de energia solar. 

02
Nov17

Período crítico de incêndios prorrogado até 15 de novembro


Bruno Fernandes

Nuno André Ferreira/Lusa/ZAPaeiou

O período crítico de incêndios foi prorrogado até 15 de novembro.

O despacho do Gabinete do Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, publicado em Diário da Reública, refere "a provável ausência de precipitação significativa" como a causa para "manter a adoção das medidas e ações especiais de prevenção de incêndios florestais". 

Este despacho mantém as proibições de uso de fogo como queimadas ou o lançamento de fogo de artificio. 

Siga-nos no Facebook e no Twitter!

publicidade

Fale connosco

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Siga-nos no Facebook