Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Somos mundo!

O nosso dever? Informar!

30.04.18

Proença-a-Nova recria a chegada de Pedro da Fonseca


helena margarida

Município de Proença-a-Nova

O Largo Pedro da Fonseca, em frente à Igreja Matriz, em Proença-a-Nova, será o local da recriação histórica da Lenda do Santo Lenho e do Mercadinho Quinhentista que se realizará a 3 e 5 de maio.

Pedro da Fonseca é uma das figuras históricas de destaque do concelho e esta recriação histórica celebra a sua chegada com o Santo Lenho, o pedaço da cruz de Cristo crucificado recebido por Pedro da Fonseca pelos seus préstimos enquanto conselheiro do Papa Gregório XIII em Roma.

Pedro da Fonseca ofereceu o Santo Lenho à Misericórdia de Proença-a-Nova que anualmente expõe o artefacto na Capela da Misericórdia, no dia de Santa Cruz, a 3 de maio. Neste dia, que foi durante anos feriado municipal, mantém-se a feira anual e a devoção que faz parte da história e da cultura do concelho.

Esta iniciativa realiza-se na manhã de 3 de maio, quinta-feira, e na tarde de 5 de maio, sábado e arranca com uma arruada de Bombos e Gaitas de Foles e com uma palestra com o professor António Manuel Silva que fará a contextualização histórica e relembrará os factos mais importantes da vida e obra de Pedro da Fonseca. No largo decorrerá a recriação histórica, seguida da peça de teatro Commedia Dell’Arte e a animação que inclui danças e coreografias a cargo do grupo de teatro Vaátão e da Universidade Sénior de Proença-a-Nova.

No dia 5 de maio, além da palestra, animação de rua e da recriação histórica haverá ainda um mercadinho quinhentista com artesãos locais, bem como uma peça de teatro infantil “O Pirata Zécarias: aventuras e tropelias”, um espetáculo com fogo, música coral e tabernas à época.

Pedro da Fonseca, filósofo jesuíta que ficou conhecido por Aristóteles Português, é natural do concelho e regressou a Proença-a-Nova com esta dádiva tornando-a num símbolo de culto e fé, ao qual a população pedia proteção em situações de intempéries, secas, pragas e outras doenças.

A história do Santo Lenho também se cruza com outro marco da história de Proença-a-Nova: a passagem das tropas comandadas pelo general Junot, durante as invasões francesas. Diz a lenda que o Santo Lenho caiu em poder dos franceses, mas que por milagre se transformou em lata e eles a abandonaram.

Esta iniciativa está inserida no projeto “Beira Baixa Cultural” - cofinanciado no âmbito do Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da União Europeia, promovido pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB).

30.04.18

Rede Hidrográfica da Praia da Vitória vai sofrer melhoramentos


helena margarida

Município da Praia da Vitória

A Câmara Municipal da Praia da Vitória está a realizar um trabalho de prevenção ao nível da rede hidrográfica do Concelho, nomeadamente no que concerne à limpeza de ribeiras e à criação de pontes aéreas que reforcem a segurança e contribuam para a melhoria da qualidade de vida dos munícipes. O conjunto de intervenções, avaliado em cerca de meio milhão de euros, é co-financiado por fundos comunitários em 85%, sendo 15% do valor final, 75 mil euros, atribuído pela Autarquia.

São alvo de intervenção as ribeiras situadas nas freguesias da Agualva, Fontinhas, Cabo da Praia, zona da Casa da Ribeira, Belo Jardim e Vila das Lajes. Estas resultam da necessidade de serem criadas melhores condições de acesso a estes locais e também da importância de serem evitadas cheias.

Município da Praia da Vitória

“Iniciamos todo um trabalho de prevenção para evitar cheias e outras consequências associadas a fenómenos meteorológicos adversos”, explicou Carlos Armando Costa, vice-presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória e responsável pela área da Proteção Civil, adiantando que para além da desobstrução de ribeiras, foram criadas pontes aéreas no sentido impedir que as pessoas atravessassem o leito das próprias ribeiras, salvaguardando a segurança dos nossos municípes.

No âmbito das intervenções nas ribeiras, e referindo-me concretamente ao trabalho efetuado, a zona do Belo Jardim foi alvo de desobstrução e criação de acessos pedonais. No local da Casa da Beira, os muros que ladeavam a ribeira foram refeitos em betão de forma a garantir um passeio pedonal na via para garantir uma maior segurança aos peões. Também no local das Beiras foram criadas pontes de acesso a habitações situadas perto da ribeira que quando enchia impedia a acessibilidade às residências.

O autarca reforçou a importância da concretização de medidas que contribuam para a segurança e bem-estar da comunidade.

30.04.18

«Saca-Histórias» leva a leitura às casas de Odivelas


helena margarida

robyn-budlender-112521-unsplash.jpg

A partir do dia 2 de maio, as famílias de Odivelas já podem requisitar na Biblioteca Municipal D. Dinis o «Saca-Histórias», um saco temático com livros e materiais que vai proporcionar às famílias momentos de afeto e cumplicidade à volta do livro e da leitura.

Com o empréstimo deste conjunto de materiais, os pais têm a oportunidade de desempenhar um papel ativo e interventivo na exploração dos livros e na dinamização da história, encorajando na criança hábitos de leitura e de visitas regulares à biblioteca.

Os «Saca-Histórias» vão estar disponíveis na Biblioteca Municipal D. Dinis, em Odivelas, e nos polos de Caneças e Pontinha.

30.04.18

Castro Daire: Está a chegar o “Maio Pedestre 2018”


helena margarida

Divulgação

A aposta no Turismo de Natureza acontece há já nove anos consecutivos com a iniciativa “Maio Pedestre”. O Município de Castro Daire desenhou alguns percursos pedestres com o objetivo de dar a conhecer as várias potencialidades turísticas, culturais, ambientais, naturais e gastronómicas proporcionando a todos os participantes experiências ímpares e privilegiadas, envolvidos num plano de dinamização e de animação.

Ao longo de todo o mês de maio a proposta vai no sentido de se percorrerem velhos carreiros de moleiros, carteiros, ao mesmo tempo que se convive com as pessoas locais. Haverá também oportunidade para se descobrir encantadores recantos naturais, cascatas deslumbrantes, aldeias típicas, costumes e tradições que ainda resistem à evolução dos tempos, deixando-se invadir pelo encanto de contos e lendas imemoriais.

30.04.18

“Maios” é cabeça de cartaz na Festa do Dia do Trabalhador em Odeleite


helena margarida

Divulgação

Odeleite celebra o 1º de Maio com animação e encantos naturais da paisagem. O Dia do Trabalhador no concelho tem como atração maior dos últimos anos a exposição dos “Maios”, tradição de provável origem pagã, que celebra a Primavera e o rito da fertilidade de um novo ciclo da natureza.

Aos Maios juntam-se as flores, que decoram toda a aldeia. Pitoresca e reconhecida pela sua singularidade, a “Aldeia Florida” oferece um agradável passeio por entre as ruas, pátios, recantos e janelas coloridas pela chegada das flores.

À beleza da aldeia junta-se então a Festa do 1º de Maio, que assinala a luta pelos direitos dos trabalhadores. A ribeira de Odeleite proporciona, durante todo o dia, diversas atividades, como insufláveis, slide, canoagem e escalada. Às 9h30 poderá também participar num passeio pedestre, organizado pela empresa Alemvila Tours, com passagem pelos melhores “miradouros” de Odeleite (inscrições: geral@alemvilatours.com | 967 202 846 | 968 898 481).  

A já tradicional sardinhada, gratuita, começa às 12h00 e a tarde continua animada, com um baile com “Sérgio Conceição”, a atuação do Rancho Folclórico de santo Estevão e o espetáculo dos “Sons do Minho”, pelas 18h00. Em simultâneo decorre um Mercadinho, com venda de artesanato e doçaria local e regional.

Para quem for acampar, a festa começa mais cedo! Há baile hoje, 30 de abril, pelas 21h30, com “Silvino Campos”.

O “Dia do trabalhador” é organizado pela Associação Social da Freguesia de Odeleite com a parceria da Junta de Freguesia de Odeleite e do Município de Castro Marim.