Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Somos mundo!

O nosso dever? Informar!

30.05.18

Pneu de Pesado rebenta e condiciona circulação no Túnel do Marão


helena margarida

informadouro

O rebentamento de um pneu de uma viatura pesada seguido de incêndio está a condicionar a circulação no interior do Túnel do Marão. A via da direita, sentido Vila Real - Amarante, continua cortada.

No local permanecem 11 operacionais acompanhados por 5 meios técnicos terrestres. O sinistro ocorreu pelas 13h13 encontrando-se em fase de resolução, de acordo com os dados disponibilizados na página da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

 

30.05.18

De junho a setembro #AceleraVilaReal


helena margarida

Informadouro

Música, desporto, feiras, fóruns, gastronomia... as Festas da cidade vão acelerar Vila Real. O programa mantém-se praticamente igual ao dos anos anteriores, com alguns dos nomes maiores da música portuguesa a serem cabeça de cartaz.

O orçamento das Festas também não anda muito longe dos anos anteriores. São cerca de 130 mil euros para Vila Real acelerar de junho a setembro, excluindo a organização do Circuito Internacional, que conta com o apoio de fundos comunitários. O programa compõe-se de mais de 100 iniciativas gratuitas com destaque para os concertos de HMB, The Gift, Resistência e Matias Damásio.

Momento já alto dos festejos é o Circuito Internacional de Vila Real, com a estreia em pista do WTCR, entre 22 e 24 de junho. Um programa feito por todos para todos cujo “objetivo é acelerar a felicidade dos vila-realenses”, afirmou o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos.

Em dia de Santo Padroeiro da cidade, feriado municipal, que é como quem diz, a 13 de junho, dia de Santo António, sobem ao palco da Praça do Município os HMB para encher de “Paixão” os vilarealenses. The Gift levam o seu “Altar” à Praça no dia 22 de junho e na noite de São Pedro, 28 de junho, haverá “Resistência”. “O Mundo nos chama loucos” mas é mesmo verdade que a, 9 de agosto, Matias Damasio irá estar em Vila Real, para atuar no dia do Emigrante. Nas marchas populares, na noite do dia 12 de junho, irão desfilar pela avenida principal da cidade 23 grupos participantes, que este ano trazem uma novidade com a participação de duas marchas infantis apresentadas pelos agrupamentos de escolas. A Feira de Santo António decorre entre o dia 8 e o 13 de junho dia em que se realizará ainda a tradicional feira de gado e o fogo-de-artifício.

O São João, à semelhança dos anos anteriores, vai ser festejado no centro da cidade, numa iniciativa que junta os comerciantes e que terá como convidados de honra os pilotos que vão disputar o 49º Circuito Internacional de Vila Real.

Em dia de São Pedro manda a tradição que os pucarinhos de barro negro saiam à rua e se mostrem na Rua Central, haverá também a “Noite Negra”, uma festa em que os participantes terão que vestir de preto para homenagear a olaria de Bisalhães, cujo processo de fabrico foi classificado pela UNESCO.

Entre 15 e 16 de junho a festa faz-se no Parque Corgo com o festival Rock Nordeste. Bonga, Capitão Fausto e First Breath After Coma, que atua com a Banda de Música de Mateus são presenças já confirmadas.

“Sons ao Largo” com concertos no largo da Capela Nova, no centro histórico, o projeto “Arruada”, com espetáculos que decorrerão entre os meses de julho e setembro, na praça do município e outros locais do centro da cidade e os Concertos de Verão do Teatro de Vila Real compõem o programa de festejos que tem em setembro a terceira edição do Pitoresco – Festival de Graffiti e Street Art” e a maior romaria da região, a festa da Senhora da Pena, que é conhecida pelos andores de grandes dimensões.

Haverá também eventos desportivos, como caminhadas, maratonas ou torneios de basquetebol, e as comemorações do 93.º aniversário da elevação de Vila Real a cidade, iniciativas que são organizadas em conjunto com as escolas e associações culturais e desportivas do concelho.

30.05.18

Confraria do Covilhete entroniza novos confrades a 16 de junho


helena margarida

informadouro

Promover, divulgar e trabalhar em prol da certificação do covilhete serão as juras feitas sob o bastão “Aleu” pelos novos confrades, ao mesmo mesmo tempo que assumem a responsabilidade de levar o nome de Vila Real, história, património e gastronomia na viagem que irão iniciar a 16 de junho. 

É mais um capítulo que se irá escrever na história da Confraria do Covilhete de Vila Real com a Cerimónia de Entronização de novos Confrades, marcada para as 11h00 no Conservatório Regional de Música de Vila Real (antigo Convento de S. Domingos). Depois da atribuição do título de Confrades Irmãos aos Confrades Noviços (entronizados no ano anterior) e a Entronização dos novos Confrades (Noviços e de Honra) haverá um momento musical pelos alunos do Conservatório e às 12h30 decorrerá um Cortejo de Confrarias até a Estátua de Carvalho Araújo, no âmbito da comemoração do centenário da sua morte. Pelas 16 horas, integrado no programa "Dias do Património a Norte", organizado pela Direcção Regional de Cultura do Norte, haverá uma visita à Igreja de São Domingos/Sé de Vila Real, orientada pelo Confrade Hilário Néry de Oliveira. Às 17h00 será visionado o mini-documentário "O covilhete tradicional" (com degustação dos mesmos), com o Chef Tiago Emanuel Santos e covilheteiras tradicionais.

informadouro

Constituída no dia 20 de julho de 2015, em plena comemoração do Dia da Cidade de Vila Real, através da assinatura formal dos seus estatutos pelos 16 confrades fundadores, a Confraria do Covilhete – CC tem por missão a defesa, valorização, promoção e divulgação do covilhete e dos produtos culturais e gastronómicos que lhe estão associados: o barro de Bisalhães, a Feira de Santo António, o arroz de forno, o vinho e de um modo geral a gastronomia local e da região onde se insere.

A 20 de fevereiro de 2016 foram entronizados os primeiros Confrades de Honra e Confrades Fundadores nos Paços do Concelho de Vila Real. Cerca de 30 entidades e individualidades envergaram pela primeira vez o traje e as insígnias da organização. Além dos 16 confrades fundadores (entre os quais representantes de várias pastelarias e padarias que confecionam diariamente a iguaria), foram escolhidos, na reunião do “Primeiro Capítulo”, os primeiros Confrades de Honra convidados a integrar a organização.

A segunda Entronização aconteceu a 11 de junho de 2016 na Torre de Quintela – Vila Marim, Vila Real. A terceira aconteceu a 17 de junho de 2017 no adro da Capela Nova de Nossa Senhora de Almodena.

28.05.18

Alijó: Chuva causa inundações e deslizamentos de terra no Pinhão


Bruno Fernandes

Ricardo Carvalho/Jornal de Notícias/Direitos reservados

 

A vila do Pinhão, em Alijó, foi afetada por inundações e deslizamentos de terra devido à chuva que se fez sentir na zona, na tarde desta segunda-feira. 

Segundo José Paredes, presidente da câmara de Alijó, em declarações à Agência Lusa, refere que a zona do Pinhão foi afetada por "estragos significativos" na própria vila, nas estradas e nas vinhas do Douro. O JN avança que as ruas da povoação estiveram intransitáveis devido à agua acumulada. 

Carlos Pereira, comandantes dos bombeiros do Pinhão, avançou à Lusa que as estradas de acesso da vila a Alijó e Sabrosa foram cortadas devido a derrocadas e deslizamentos de terras. À corporação de bombeiros, chegaram pedidos de ajuda devido a inundações a estabelecimentos e à estação ferroviária. 

Segundo o site da Autoridade Nacional de Proteção Civil, no local estão 45 operacionais acompanhados por 15 viaturas.

28.05.18

Barcelos: Junta de Lijó acusada de obra "ilegal"


Bruno Fernandes

Pedro Granja/Barcelos Popular/Direitos Reservados

 

O presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, referiu, em Reunião de Executivo, que uma obra de 112 mil euros, realizada pela junta de Lijó, é "completamente ilegal". 

A acusação surgiu na reunião do passado dia 18, depois de José Novais, vereador do PSD ter questionado o executivo sobre a não aribuição de um subsídio para um parque de estacionamento e casas de banho nas traseiras da igreja.

Costa Gomes retorquiu. Segundo o jornal local Barcelos Popular, o presidente disse que o município não pode "subsidiar uma obra ilegal" e que esta avançou "sem projeto aprovado", estando "condicionado à posse da propriedade". 

Quando questionado pelo jornal, Joaquim Dantas, presidente da junta de Lijó, discorda da visão de Costa Gomes: a obra "não está ilegal". 

Dantas esclarece que os projetos de arquitetura foram feitos pela autarquia e que os de especialidade não avançaram porque a câmara pedu que a junta fosse proprietária do terreno. Uma impossibilidade, diz o autarca de Lijó, que refere os gastos do munícipio em obras semelhantes. "A Câmara já deliberou perto de um milhão de euros para este tipo de a juntas e fabriqueiras. Não vejo porque não apoia aqui Lijó." Argumentando estar "a ficar sem paciência, Joaquim Dantas diz que a junta está a pedir "apenas um subsídio no valor de um terço do custo, 30 mil euros". 

"Lijó tem sido totalmente esquecida e está a ficar a milhas de outras freguesias", diz o presidente da junta. 

Pág. 1/15