Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Somos mundo!

09.10.18

Guimarães: Carta Educativa assentará num modelo digital


Bruno Micael Fernandes

Município de Guimarães Comunicação

A Câmara de Guimarães está a criar um "Portal da Educação" para abarcar a Carta Educativa do concelho. O documento assentará num "modelo digital" para que se mantenha "ativo e atualizado o melhor possível". A revelação foi feita esta terça-feira por Adelina Pinto, vereadora da Educação do município vimaranense, durante uma reunião aberta do Conselho Municipal de Educação na BlackBox da Plataforma das Artes. 

Segundo a responsável, o planeamento do documento far-se-á através de um trabalho de cooperação com a rede concelhia de escolas, salientando a ligação ao Ministério da Educação através dos dados disponíveis no programa E360 e que o Agrupamento da Virgínia Moura "é uma escola-piloto. O Município também pretende desenvolver o seu projeto-piloto a fim de disponibilizar dados reais e, assim, apresentar um documento estratégico na educação para todo o concelho", referiu Adelina Pinto. 

O número elevado de escolas, a diversidade de parceiros e as questões legais são algumas das "dificuldades que estão sempre presentes e importa ultrapassar" mas a vereadora mostrou-se "satisfeita com o caminho feito" neste setor. 

09.10.18

Tauromaquia: PAN questiona Ministério sobre documentário do ISCTE


Bruno Micael Fernandes

ricardo/zone41.net (CC BY-ND 2.0)

O PAN (Pessoas Animais e Natureza) quer saber os motivos pelos quais o ISCTE-IUL encomendou um documentário sobre tauromáquia que, no entender do partido, é um "elogio". 

Em causa, está um contrato por ajuste direto com a produtora Talentos Delicados, no valor de 9980 euros mais IVA. Num comunicado enviado à comunicação social, o PAN afirma que "questionou o Ministério da Educação sobre os motivos que levaram a instituição a celebrar este contrato". Citando a clásula primeira, o PAN afirma que o documentário não terá "uma perspetiva isenta sobre o tema (...) mas da encomenta de um trabalho que serve, com dinheiros públicos, para promover a tauromaquia". 

Ora, Luís Capucha, diretor do Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas do ISCTE-IUL, em declarações ao Jornal i, refere que "não há nenhum material a ser produzido para divulgação pública, ainda menos televisiva". "O ISCTE-IUL não está a utilizar qualquer verba do seu orçamento para financiar o projeto", acrescentou. 

Por seu turno, em comunicado, André Silva, deputado do PAN, defende que a inicitiva da instituição "contraria aquilo que a academia devia estimular, o abandono progressivo das tradições anacrónicas e contrárias àquele sentido humanista que vê a cultura como um contributo para nos tornar melhores seres humanos".