Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

Somos mundo!

15.01.19

Lagos: autarquia assinala o 446.º aniversário de Elevação a Cidade


Bruno Micael Fernandes

Divulgação

Lagos vai assinalar o aniversário de elevação a cidade com várias atividades a acontecerem já nos próximos dias 26 e 27 de janeiro, anunciou a autarquia. 

Com eventos em torno de D. Sebastião, o programa integra uma conferência, uma exposição de pintura com obras do australiano Sam Abercromby e, ainda uma visita comentada. "A Elevação de Lagos a Cidade, que se assinala a 27 de janeiro, representa um dos momentos mais significativos da história local, constituindo o reconhecimento da importância e do trajeto percorrido desde a atribuição do Foral, por D. Manuel I em 1504 até à sua elevação em 1573, por D. Sebastião", refere a câmara municipal em comunicado. 

Todas as informações sobre o programa poderão ser encontradas no site da autarquia

 

15.01.19

Douro Creative Hub vai transformar Mercado Municipal de Vila Real num "Mercado Criativo"


helena margarida

Divulgação

O Douro Creative Hub vai transformar o Mercado Municipal de Vila Real, nos dias 30 e 31 de março, num "Mercado Creativo". O objetivo é dar a conhecer o trabalho de mais de 3 dezenas de criativos de diferentes áreas.

Dois dias para "celebrar a economia criativa", dar destaque aos criativos, pelo que o espaço irá conter "atividades para as crianças, exposição dos criativos, animação e gastronomia", lê-se no comunicado enviado às redações.

As tradicionais bancas de frutas e legumes, peixe e enchidos darão assim lugar a exposições, palestras, concertos, gastronomia, ateliers e venda de produtos criativos.

O Douro Creative Hub, promovido pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, cofinanciado com o apoio do NORTE 2020, teve início em 2017 com o objetivo de identificar, dinamizar e promover as indústrias criativas da região do Douro.

Depois de ter realizado o 1º concurso dos Criativos da Região, o mapeamento dos Criativos do Douro e o Prémio Douro Criativo, o projeto chega agora ao último patamar com este "Mercado Criativo" onde também irá ser apresentado o “levantamento” dos criativos dos 19 municípios pertencentes à NUTS III do Douro, "uma espécie de portefólio criativo da região".

02.01.19

O único areeiro em exploração na zona da grande Lisboa vai encerrar


helena margarida

shane-mclendon-534664-unsplash.jpg

O encerramento do único areeiro em exploração na grande Lisboa vai ditar o aumento das areias e tempos difíceis na construção civil para 2019, dado o expectável aumento dos preços desta matéria-prima. O alerta é dado pela Socabrine (cooperativa exploradora do areeiro) que, em comunicado, lembra que tal situação levará à crise no setor e arrastará cerca de 200 empresas para uma situação de debilidade financeira.

“São cerca de 1.000 camiões carregados diariamente, que deixam de ter condições para executar a sua atividade a menos que se desloquem a centenas de quilómetros com o aumento inerente dos custos que tal acarreta”, sublinha a empresa.

A Socabrine já manifestou aos proprietários do areeiro o interesse em continuar com o contrato de exploração e “foi com surpresa que receberam a notícia do final do contrato com efeitos imediatos”. Tendo em conta o crescimento na grande Lisboa quer na área da construção, quer na da reabilitação urbana é por tal “mais incongruente e inexplicável esta decisão do dono do areeiro” diz a Socabrine, adiantando ter “interesse em discutir um novo contrato” para salvaguardar os postos de trabalho de todos os que dependem desta atividade. Se o encerramento se vier a concretizar tornará “precária a situação laboral de tantos trabalhadores e das suas respectivas famílias, num momento tão positivo para o setor, em ciclo com o crescimento económico do país”.

O avanço do mar sobre a costa devido ao aumento das temperaturas globais, fazem com este recurso assuma uma importância extrema e seja cada vez mais importante, o que levou ao aumento do seu valor em quase 6 vezes nos últimos 25 anos.

A base da construção civil é a areia, o que a transforma num dos recursos mais valiosos e explorados do Mundo. Para se ter uma ideia, um quilómetro de estrada requer 30 mil toneladas de areia e uma moradia consome cerca de 200 toneladas de areia.

Este areeiro, conhecido vulgarmente como o areeiro da Socabrine, promove uma extração licenciada de recursos naturais e uma recuperação faseada, “ao contrário das inúmeras extrações ilegais”. Como tal “a extração de areia deverá ser um processo controlado e aproveitado, o que implica que deverá apostar-se na redução do seu impacte ambiental, proibindo as extrações ilegais, incentivando a reciclagem e recuperando a área, durante e após a exploração”, considera a empresa.