Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Informadouro

Somos mundo!

O nosso dever? Informar!

21.11.17

Onda Cultural chega ao Cabo da Praia nos Açores


helena margarida

Divulgação

A freguesia do Cabo da Praia vai ser “inundada” por uma “Onda Cultural” entre os dias 22 e 25 de novembro. A Câmara Municipal da Praia da Vitória, Açores, deixa o alerta a toda a população para as diversas atividades recreativas e culturais.

“A Onda Cultural tem como objetivo primordial a descentralização da cultura. É importante levarmos as atividades culturais até às freguesias, no sentido de proporcionar a todos os munícipes, das mais variadas faixas etárias, momentos de convívio e bem-estar”, referiu o vereador da Cultura, Carlos Armando Costa.

O evento que segundo o vereador “vem valorizar os meios rurais” inclui, no primeiro dia, uma tarde sénior com bingo e às 19h00 arranca o tríduo de preparação da festa de Santa Catarina, seguindo-se o geocaching pela freguesia. Para as 20h30 está agendada uma noite de fados, no Forte de Santa Catarina, que contará com a presença do grupo “Sombras do Fado”.

No dia 23 prossegue o tríduo de preparação da festa de Santa Catarina. À noite a Casa do Povo servirá de palco à tradicional cantoria

Para o dia 24, está prevista uma tarde júnior com insufláveis, pinturas faciais e balões, no Jardim da Junta de Freguesia e às 19h00 termina o tríduo de preparação da festa de Santa Catarina. O torneio de marralhinha, na Casa do Povo, está marcado para as 20h00 e a “Onda” termina com a atuação de dj's na Zona de Lazer.

A alvorada com salva de 21 morteiros pelas 07h00 dará início ao último dia de evento que terá momento alto com a missa em honra de Santa Catarina, padroeira da freguesia, às 19h00. A noite será de homenagens estando a atuação de Chico e Alaíde Simões prevista para as 21h00.

Segundo Mónica Brum, presidente da Junta de Freguesia do Cabo da Praia, “com a realização da Onda Cultural, pretendemos unir as pessoas em prol da dinamização da nossa freguesia, demonstrando o que somos capazes de fazer e mantendo sempre vivas as tradições que nos caracterizam enquanto povo terceirense”.